quarta-feira, 9 de março de 2011

Preparação da Visita de Estudo a Lisboa

Palácio Nacional de Queluz

O Palácio Nacional de Queluz data do século XVIII e está localizado em Queluz no concelho de  Sintra. Trata-se de um dos últimos grandes edifícios em estilo Rococó construídos na Europa, o palácio foi construído como um recanto de verão para D. Pedro III.
Serviu como um discreto lugar de encarceramento para a rainha Maria I quando a sua loucura continuou a piorar após a morte de D. Pedro em 1786. Após o incêndio que atingiu o Palácio da Ajuda em 1794, o Palácio de Queluz tornou-se a residência oficial do príncipe regente, o futuro D.João VI, e da sua família.
A construção do Palácio iniciou-se em 1747, tendo como arquitecto Mateus Vicente de Oliveira.
Desde sempre concebido como um Palácio de Verão, a Queluz acorria frequentemente a Corte para assistir aos festejos e serenatas. Eram especialmente animados os dias de S. João e S. Pedro, festejados no mês de Junho, coincidindo o último com a celebração onomástica de D. Pedro III, logo seguida, a 5 de Julho, pelas comemorações do seu próprio aniversário Grande parte dos festejos, tinham lugar nos jardins e incluíam fogo de artifício, jogos equestres e combate de touros, entre outros divertimentos.
Eram inúmeras as fontes de divertimento em Queluz, sobretudo nos anos que medeiam entre 1752 e 1786, ocupando sempre a música um papel central, ainda na época do Príncipe Regente. Antes e depois da construção da Casa da Ópera, em 1778, aqui se tocaram dezenas de serenatas e óperas, na sua maioria inspiradas em temas da mitologia clássica. Músicos como  Domenico Scarlatti, João Carvalho da Silva, João de Sousa Carvalho,  Luciano Xavier dos Santos ou Marcos Portugal viram aqui tocadas as suas obras. Muitos estrangeiros tiveram igualmente ocasião de expor os seus talentos no Palácio perante a Família Real e a Corte. Em Agosto de 1781, Francisco Farinelli, "castrati" que mais tarde alcançaria grande notoriedade como soprano, fez aqui a sua prova de músico. A época áurea da música em Queluz terminou em 1786, com a morte de D. Pedro III.
 A vitória liberal de D. Pedro IV sobre o irmão  D. Miguel, logo seguida da morte do primeiro no Quarto D. Quixote em Queluz, num ambiente de grande simbolismo e dramatismo romântico, representa o fim de uma época para Queluz.




Sem comentários:

Enviar um comentário